sábado, 23 de fevereiro de 2008

Bem-vindo à Marília!

Marília, município localizado no estado de São Paulo, 13ª maior cidade do interior paulista em número de habitantes.

Cidade consideravelmente pacata, onde tudo é de conhecimento de todos, algo que se diz “comum” em qualquer município interiorano. Aqui, encontra-se tribos diversas, do punk ao pagodeiro, absurdo distanciamento social, das socialites que se afiliam a alguma ONG aos andarilhos que se “multiplicam” a cada mês, panelinhas em diversas profissões, como o determinado grupo de “médicos confiáveis”, “advogados competentes” e “dentistas experientes”.

O “cool” do momento é o cidadão que se denomina “boleiro”. Aquele que sonha em ser jogador de futebol (clichê básico de brasileiro), tem o Ronaldinho Gaúcho como seu grande ídolo e adota o “jeito moleque de ser” como filosofia de vida. Tem também o “promoter do Luau da Medicina”, que se julga demasiado popular a ponto de anunciar a balada mais “cool” do ano, incluindo divulgação por orkut e msn. Esse é aquele sujeito que freqüenta (segundo ele) a academia mais badalada da cidade de 2 a 3 vezes por semana e exala popularidade e bons contatos. E, porque não, as gangues pré-adolescentes, que dependem de papai e mamãe para 90% das atividades básicas do dia-a-dia, mas “controlam” a cidade.

É de se impressionar ao ver as inúmeras Organizações não Governamentais existentes em Marília. Interessante, é a quantidade de socialites que pregam a “humildade” e o “desinteresse” por bens materiais, em entrevistas a jornais, revistas e televisão, e desfilam com seus carros importados diariamente, enquanto a quantidade de andarilhos vivendo em condição subumana tem crescido de modo grotesco.

O mercado de trabalho em Marília é totalmente diversificado e acolhedor. Mas o fundamental é o seu sobrenome. Médico? Dentista? Advogado? Filho de quem? Qual a sua equipe? Com quem você trabalha?

Ah Marília! Que orgulho, não?

(Fred)

8 comentários:

  disse...

"Qualquer semelhança é mera coincidência"

(Fred)

  disse...

Fred, tenho que dizer que, se não o melhor, um dos melhores que você já escreveu.
Muito bom mesmo.Adoro seu tom irônico de ver as coisas, show !

Anyway, me identifiquei com o texto.
HAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Abração

Judy and the dream of horses disse...

É por essas e outras que pretendo me mudar de Marília logo, logo! HAHAHAHAHA

(se bem que gente podre tem em todo lugar, mas ok, sejamos otimistas...)

ps: Obrigada por comentar no meu blog, viu Fred? Adorei o seu também :)

Gabriel disse...

Concordo com o anônimo alí em cima...
Fred seu jeito sinico, ironico é hilario e envolvenete.
Esse está muito bom mesmo.

Mais então vou dar minha opnião:
Marília, eu não tão ruim assim.
existem outras coisas piores, e outra isso tem em todo lugar, quanto mais gente pior.
Mais hoje o que conta não é muito o sobrenome, mais sim sua faculdade.

  disse...

Quanto mais gente pior? Creio que não, meu amigo, pelo exato motivo de estarmos em uma cidade interiorana, ou seja, com um numero menor de habitantes em comparação com as metópoles, as pessoas ficam com reduzidas opções ao procurar por um profissional da área de saúde, por exemplo. Isso ocorre aqui, devido as "panelinhas" que acabam por oprimir novos profissionais e assim reduzir as opções da população. E infelizmente, creio que o "sobrenome" em Marília seja mesmo o mais importante.

(Fred)

  disse...

Desculpe não me 'identificar'
O segundo comentário ali é meu :p

J.V.

Jãão disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Arthur disse...

Sim , Maríia é mesmo uma grande "Panelinha", e , Parabens Pelo texto Fred , Ficou muito bom !

'TuTu